Buscar
  • Bianca Fausto

A Fome e a Pandemia

Enquanto se pede para que todos fiquem em casa e tomem os devidos cuidados necessários para evitar o contágio da COVID-19, há uma boa parcela da população que não pode ficar em casa. Se manifestando a conexão intrínseca da pandemia com a economia e sua crise, há quem precise, todos os dias, enfrentar o perigo do transporte público e trabalhar para colocar o pão na mesa. Porém, existe a urgência de se falar sobre aqueles que não trabalham, não possuem renda e não encontram saída para conseguir o pão de cada dia.


O sistema de alimentação mundial já mostra sérias falhas há algum tempo através de seus números. Segundo a ONU - Organização das Nações Unidas em 09/06/2020, no mundo, 820 milhões de pessoas passam fome e cerca de 144 milhões dessas pessoas são crianças com menos de 5 anos e deficiência nutricional, apresentando quadro de raquitismo.


Observa-se o aumento gradual e claro dos efeitos do Corona Vírus em relação à fome e agrava-se a preocupação de uma eminente onda de Emergência Alimentar Global. De acordo com a ONU, projeta-se que, ainda em 2020, 49 milhões de pessoas podem cair em situação de extrema pobreza no mundo por conta da crise e também que o número de indivíduos expostos a uma grave insegurança alimentar e nutricional crescerá rapidamente.


Por isso, a ONU apresentou o Documento Político sobre o impacto da Covid-19 na segurança e nutrição alimentar com o objetivo de solidificar 3 recomendações gerais:


I - "Primeiro, devemos mobilizarmo-nos para salvar vidas e meios de subsistência, concentrando a atenção nos locais onde o risco é mais agudo." II - "Segundo, precisamos reforçar os sistemas de proteção social para garantir que melhorem o acesso aos alimentos e a nutrição das pessoas." III - "Terceiro, devemos investir no futuro e transformar os nossos sistemas alimentares para construir um mundo mais inclusivo e sustentável."


No Brasil, a proposta do auxílio emergencial sancionada pelo governo federal no começo de abril surgiu como uma garantia de ajuda e sobrevivência a milhões de brasileiros que tiveram suas economias completamente congeladas ou perdidas. Hoje, quase 3 meses depois, acumulam-se inúmeras queixas sobre demoras, falhas e fraudes no sistema, e o dinheiro que serviria para a compra do mês continua sem chegar em muitas famílias que deveriam recebê-lo.


No dia 17 de junho de 2020 foi anunciado o Plano Safra 2020/2021, estimando o valor de R$ 236,3 bilhões, o que confere uma taxa de aumento de 6,1% ou R$13,5 milhões a mais do que o último plano. Os financiamentos podem ser contratados a partir de hoje, 01/07/2020 até 01/06/2021. Surge com a responsabilidade ainda maior de alimentar o país, alimentar parte do mundo através das exportações e tentar elevar o PIB brasileiro num momento de crise econômica nunca visto antes.


Enquanto isso, através da solidariedade de ações sociais e diversas ONGs, tenta-se mitigar o efeito da fome que se alastra pelas cidades brasileiras. Aqui embaixo vão alguns links de lugares onde estão recebendo ajuda e estão fazendo um trabalho de auxílio muito importante nesse momento:


Se puder fique em casa e lave sempre as mãos!


Bianca Fausto


#Pandemia #Covid19 #Fome






135 visualizações7 comentários

Posts recentes

Ver tudo